Cunningham nasceu em Portland (Oregon). Em 1901, aos 18 anos de idade, comprou a sua primeira câmara fotográfica, mas rapidamente perdeu interesse pela fotografia, vendendo essa câmara. Só em 1906, quando estudava na Universidade de Washington em Seattle, foi inspirada por um encontro com o trabalho de Gertrude Kasebier. Com ajuda do professor de química, Dr. Horace Byers, começou a estudar a química por trás da fotografia, financiando as aulas com fotografias de plantas para o departamento de botânica.

O Rijksmuseum, um dos maiores museus da Europa, dedicado à artes e história, disponibilizou para apreciação on-line ou download, parte de seu gigantesco acervo. São aproximadamente 155 mil obras.

Com toda certeza do mundo afirmo que você já viu muitas das paisagens que serão mostradas aqui, mas, com a mesma certeza, digo que você jamais viu esses locais da forma como verá agora, o Arco do Triunfo, as Pirâmides do Egito, entre outras paisagens de uma forma nunca vista antes, essas belíssimas imagens aéreas mostram como você veria o mundo se você fosse um pássaro, algumas fotos foram tiradas de uma altitude que parece inalcançável por pássaros, mas isso não tira o brilho entusiástico e a beleza épica dessas fotografias.

Steve McCurry é um dos mais prestigiados fotógrafos da atualidade, nasceu na cidade de Filadélfia em 1950. Depois de se formar em história e cinema no “College of Arts and Archictecture” na Universidade Estadual da Pensilvânia, passou dois anos trabalhando como fotógrafo para um jornal, mas o seu espírito aventureiro o levou à Índia, onde trabalhou como fotógrafo freelancer. 

Ansel Adams: America foi uma das últimas obras de Dave Brubeck, lenda do jazz falecida em 2012. Composta por Dave em parceria com seu filho, Chris, trata-se de uma homenagem sinfônica àquele que é considerado um dos artistas mais importantes da história dos Estados Unidos. Para Brubeck, o fato pouco conhecido de que Ansel Adams (1902 – 1984) havia treinado para se tornar um músico clássico (pianista, como ele), influenciou fundamentalmente a obra do fotógrafo. Os dois artistas têm ainda muito em comum: ambos são de São Francisco, Califórnia, e visitaram o vale do Yosemite aos 14 anos, em 1916. Foi nesta viagem, aliás, que Ansel tirou suas primeiras fotografias com uma Kodak nº1 Box Brownie que ganhou de seus pais. Seus registros desse parque, para o qual voltou todos os anos até o final de sua vida, tornaram-se suas imagens mais conhecidas.

Para chegar a esse número, é preciso entender como o olho funciona. Manuel Menezes de Oliveira Neto, doutor em Ciência da Computação e professor da UFRGS, explica que, através de movimentos rápidos, o olho faz uma varredura da cena de modo contínuo e envia essas informações ao cérebro, que as combina e compõe as imagens.

Recurso técnico-artístico empregado com a finalidade de criar uma ilusão de ótica, como indica o sentido francês da expressão: tromper, "enganar", l’oeil, "o olho". Seja pelo emprego de detalhes realistas, seja pelo uso da perspectiva e/ou do claro-escuro, a imagem representada com o auxílio do trompe l’oeil cria no observador a ilusão de que ele está diante de um objeto real em três dimensões e não de uma representação bidimensional. O objetivo do procedimento é, portanto, alterar a percepção de quem vê a obra. 

Voltar ao Topo